Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Daily Fábio

Daily Fábio

Alpalhão: Corrida dos Cântaros, mais do que uma tradição

Fábio Belo, 05.08.19

A Corrida dos Cântaros não é uma modalidade desportiva, é uma tradição com muitos anos de existência que ainda se mantem viva e enraizada nas gentes de Alpalhão. Esta corrida decorre todos os anos na segunda-feira, último dia, das Festas de Verão de Alpalhão. A prova consiste em fazer-se um pequeno percurso de gincana com o cântaro à cabeça. Quem fizer a prova em menos tempo e sem pegar no cântaro com as mãos vence a mítica corrida dos cântaros. Esta corrida praticada essencialmente por mulheres junta várias faixas etárias. Não há ninguém na vila de Alpalhão que não conheça a Corrida dos Cântaros que é conhecida por muita competitividade e diversão.async src="https://pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">

EM DIA DE ROMARIA

Fábio Belo, 22.04.19

A romaria de Nossa Senhora da Redonda realiza-se em Alpalhão, todos os anos, na segunda e terça-feira a seguir ao domingo de Páscoa.

Dizem os antigos que a Senhora da Redonda apareceu em sonhos a um homem de Amieira do Tejo. Porém neste sonho foi dito ao homem, que junto à ribeira do Sor encontraria a imagem de Nossa Senhora. O homem movido pela fé deslocou-se ao local com várias pessoas onde veio a encontrar a imagem e onde lhe mandou edificar a capela.

Para além da festa religiosa composta por uma eucaristia e procissão com imagem de Nossa Senhora da Redonda, estes dois dias de romaria são marcados também pelo convívio entre os alpalhoeiros. Neste convívio está presente a boa gastronomia como: as costeletas de borrego, as empadas, as queijadas, o bolo de festa, o queijo, entre outros produtos gastronómicos.

A capela da Senhora da Redonda localiza-se a três quilómetros da vila de Alpalhão, concelho de Nisa, distrito de Portalegre.

A capela é um edifício do século XVI. No decorrer do século XVIII a capela sofreu algumas alterações que lhe imprimiram uma outra dinâmica, de cariz barroco, mais evidente no interior, cujo acesso se faz por amplo portão com arco de granito de volta redonda.

As paredes da Capela Mor são revistas com azulejos azuis e brancos do século XVIII. Nestes painéis de azulejos estão representadas algumas cenas do nascimento de Jesus Cristo. Todo o teto da Capela Mor é revisto em pormenor com nervuras pintadas a fresco e têmpera do século XVI.

A imagem de Nossa Senhora  é uma escultura muito antiga e valiosa. As cores da imagem caraterizam-se pela cor azul, verde, laranja e dourado. No dia da romaria são colocados vários colares de ouro na imagem, que lhe dá ainda mais valor. É colocada ainda a coroa de ouro tanto na Senhora como no Menino. Atualmente a imagem conta com mais de 60 mantos.

 

ENTERRO DO SENHOR

Fábio Belo, 20.04.19

A procissão noturna do Enterro do Senhor é um dos pontos altos da Semana Santa do Crato, distrito de Portalegre. O relógio marcava 21:30 e o cortejo fúnebre saia à rua. As luzes já haviam apagado e as tochas iluminavam as imagens da Senhora da Piedade, Pietá e do Senhor Morto. O guião e os quadros da misericórdia seguiam deitados na vertical com simbolismo de luto. Os fiéis seguiam em silencio. Suava a matrucula e banda filarmónica do Crato. Na chegada á igreja refletiu-se sobre o silêncio. Cristo foi colocado no caixão e na escuridão da igreja suou o estrondo do fecho do caixão, sinal de Cristo sepultado.